Acompanhe via: Email Arvoredo via RSS Arvoredo no Youtube Arvoredo no Twitter Arvoredo no Facebook Loja Arvoredo no Facebook

Arvoredo Brasil - Instituto Agroflorestal

16/03/2012

Guarapuava será a primeira cidade que receberá o Comitê Paranaense para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio + 20

por

Guarapuava será a primeira cidade que receberá o Comitê Paranaense para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio + 20. O encontro regional está previsto para o dia 02 de abril com local e horário a serem definidos.

O anúncio foi feito pelo deputado estadual Cesar Filho logo após ter participado da instalação do Comitê na quinta-feira,m dia 15, em Curitiba. Para organizar, mobilizar e qualificar o Paraná nos principais temas da Conferência Rio+20, o Comitê vai percorrer o Estado com reuniões e audiências públicas para formatar a proposta estadual. A previsão é que 11 encontros regionais sejam realizados até a elaboração do documento paranaense. “As contribuições deverão focar principalmente alternativas de sustentabilidade, mecanismos de preservação, além de implantação de políticas e programas de gestão voltados para o meio ambiente, entre ele, a economia verde, ou seja, você ter a geração de empregos com a melhor utilização dos recursos naturais”, explica o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema), Jonel Iurk.

De acordo com o deputado Cesar Filho, as mudanças no meio ambiente devem começar pelas cidades, e esse é o momento para que guarapuavanos, demonstrem a sua preocupação com o futuro.

Os encontros que serão realizados tem como objetivo elaborar e reunir sugestões de sustentabilidade a serem apresentadas na Conferência das Nações Unidas que acontece entre 13 a 22 de junho no Rio de Janeiro. “Esta é a oportunidade para que as realidades dos segmentos da sociedade sejam traduzidas em propostas arrojadas que demonstrem a liderança do Paraná no cenário nacional e internacional, aliando desenvolvimento com a responsabilidade socioambiental”, afirma Cesar Filho.

Durante a instalação do Comitê o governador Beto Richa disse que o Paraná dará valorosas contribuições na Conferência das Nações Unidas, principalmente porque existem políticas públicas que poderão ser apresentadas como referências de sustentabilidade e modelos de gestão. “Não tenho dúvidas da nossa importante participação na Rio+20. Temos o dever de conciliar as demandas econômicas com as exigências ambientais. O governo vai encaminhar projetos à Assembleia, como o Bioclima, para que seja aplicada uma política pública de preservação e reconhecimento a quem preserva. Por isso, o grupo de trabalho aqui lançado é fundamental”, disse Richa.

Na avaliação do presidente da Comissão de Ecologia e Meio Ambiente, deputado Luiz Eduardo Cheida (PMDB), a Assembleia Legislativa tem condições de auxiliar no processo discussão dos temas relativos à conferência, mas a participação da sociedade será fundamental para balizar as demandas durante as audiências públicas. “Que a sociedade diga exatamente o que o Paraná deve levar para a Rio+20. Além disso, os deputados podem e devem trabalhar intensamente para que muitos projetos de lei que estão hoje praticamente paralisados na Assembleia e que dizem respeito a uma nova lógica ambiental no Paraná, possam vir novamente à pauta e se transformar em lei”, afirmou.

Funchos e joaninhas
Você sabe Qual a diferença dos nossos chás?
DoDesign-s Design & Marketing